Os 8 poemas mais curtos do mundo

Imagens, Matérias Literárias, Poesia

O que vem a sua mente quando falamos em “poemas curtos”? Geralmente, pensamos em poucas palavras, letras ou até uma simples figura que tamanha produção de significados, possa compor um poema. Para nós do NotaTerapia um poema curto é bem mais: ele não é falta, mas excesso e, por isso, tentamos não nos focar em um tipo de poesia, como a poesia concreta que em muitos casos se utiliza de apenas uma palavra. Tentamos ser versáteis para ver no pouco, muito!
Assim como a forma do Haikai, famoso gênero de poesia japonês, um poema curto é a síntese absoluta de um mundo plural. É quando ver a linguagem quase se calar e, mesmo assim, conseguir apresentar novas formas potentes de vida. Assim, resolvemos separar alguns dos poemas mais curtos do mundo, alguns deles sem autoria ou de autoria desconhecida, outros bastante conhecidos de todos nós, mas todos compondo isso que chamamos de “uma simplicidade infinita da ideia”.  Confira:

1- O Poema mais curto do mundo: Tu (autoria desconhecida)

2- Memória, de Waly Salomão

memoria

3- Amor, de Oswald de Andrade

4- Por Aram Saroyan

Este poema ficou conhecido e passou a ser chamado de “um alfabeto nascendo junto” ou uma expansão da consciência com a síntese de I’m (eu sou).shortest-poem

5- Por Aram Saroyan

Este poema, premiado National Endowment for the Arts,  gerou uma enorme controversa no governo americano. Em defesa da sua escrita, o autor afirmou: “Lighght” é um poema que você vê, ao invés de ler. Se você olhar para o poema esperando um poema, você talvez não o entenda. Se você se aproximar como faz com uma fotografia, você chegará bem perto. A diferença entre “lighght e outro tipo de poema com mais palavras é que ele não possui o PROCESSO de leitura. “ (Leia mais aqui!)

6- Falando Sério, de Cacaso

falando

7- O amor é puto (autor desconhecido)

8 – Por Juan Ramón

“Não a toque jamais,
que assim é a rosa!”

El Poema