11 frases e ilustrações de Companhia, de Samuel Beckett

Destaque, Imagens, Listas, LivroEmFoto, Matérias Literárias, Teatro

Um dos dramaturgos mais importantes do século XX, Samuel Beckett é um escritor dos limites. Escrever no limite da arte, no limite do teatro, no limite do pensamento, no limite da linguagem. Suas obras, compostas de fragmentos e zonas nebulosas, em alguns momentos parecem ainda não ter começado ou, desde a primeira frase, já estarem precipitando o próprio fim. Seja no horizonte de Esperando Godot, Fim de Partida ou no romance Molloy, Beckett nos faz uma exposição das sombras e nos oferece, ao lado de suas personagens, uma obscura e indefinível companhia.

Este também é o caso da obra Companhia: um homem está deitado no chão, no escuro, e ouve uma voz. A sua? De outro? De quem? Mais uma vez no limite da linguagem, Beckett mantem-se na fronteira entre quase não existir, lembrar e viver.

Confira 11 frases e ilustrações desta obra:

DSC_0338

DSC_0339

DSC_0340

 

DSC_0342

 

DSC_0343

DSC_0344

DSC_0345

DSC_0346

DSC_0347

DSC_0348

Editora: Francisco Alves, 1982