10 frases de Virginia Woolf para quem gosta de refletir sobre a vida

Destaque, Listas, Matérias Literárias

[Postado por Signature]

Virginia Woolf foi uma figura singular na literatura e na história. Uma escritora cujo trabalho não foi apreciado até décadas depois de suamorte, Woolf ainda assim é considerada modernista seminal e uma enorme influência para a maioria dos pensadores da época através de cartas e conversas. Seu foco tenaz nas mulheres, particularmente nas vidas cotidianas de “mulheres comuns” e sua forma eloquente de expressar críticas ao pensamento binário foram o que a destacou dentre seus contemporâneos e iniciou o caminho das mulheres para todas as profissões, inclusive para a escrita.

Em grande parte, seu sucesso veio de sua vontade de desafiar as convenções. Seus irmãos foram educados formalmente em Cambridge e ela não tinha receio de demonstrar seu ressentimento por lhe ter sido negada a mesma oportunidade. Ao invés disso, ela se tornou uma forte advogada da educação independente, especialmente no que tange à leitura e escrita. Talvez por isso, uma qualidade que permeia toda a sua escrita – ficção, não-ficção, até mesmo seus diários pessoais – é a propensão à questionar. Frequentemente este questionamento é retórico, ocasionalmente é mais estilístico, mas sempre suas questões instigam o leitor a pensar autenticamente.

Confira, abaixo, 10 citações de Woolf acerca destas provocações e questionamentos:

*Leia também as 10 melhores citações de Orlando, de Virginia Woolf: http://notaterapia.com.br/2015/11/16/as-10-melhores-citacoes-de-orlando-de-virginia-woolf/

Como poderia alguém se colocar atrás da vida e torcer seu pescoço? (A Moment’s Liberty)

As ruas de Londres têm seu mapa; mas nossas paixões são desconhecidas. O que você irá encontrar se virar nesta esquina? (O quarto de Jacob)

Qual é o sentido da vida? Isto era tudo – uma simples questão. (Ao farol)

Quero dizer, o que é uma mulher? Eu garanto a você, eu não sei. Eu não acredito que você saiba. Eu não acredito que alguém possa saber até que ela tenha se expressado em todas as artes e profissões abertas às habilidades humanas. (Profissões para mulheres)

Aqui estou, diante de um dos problemas dos escritores de memórias – um das razões pelas quais, quanto mais eu leio, mais eu esqueço. Deixa-se de fora a pessoa à qual as coisas acontecem. A razão é que é muito difícil descrever qualquer ser humano. Então, diz-se: “Isto foi o que aconteceu”; mas nunca se diz como estava a pessoa à qual aquilo aconteceu. Quem era eu então? (A sketch of the past)

Mas para ir além, por detrás do que as pessoas disseram (e esses julgamentos, como são superficiais, como são fragmentados!) em sua mente, o que significava, para ela, esta coisa que chamava de vida? (Mrs. Dalloway)

Exteriormente, o que é mais simples do que escrever livros? Exteriormente, quais são os obstáculos que as mulheres têm que enfrentar a mais que o homens? Interiormente, acredito, a questão é muito diferente. (Profissões para mulheres)

Será que fui feliz demais para o bem de minha alma? E será que parte do meu descontentamento vem deste sentimento? (A moment’s liberty)

A vida para ambos os sexos – e eu os via abrindo caminho pelas calçadas – é árdua, difícil, uma luta perpétua. Ela exige uma coragem e força gigantescas. Mais do que qualquer coisa, talvez, criaturas de ilusão que somos, ela exige confiança em si mesmo. Sem autoconfiança, somos como bebês em seus berços. E como podemos gerar esta imponderável e inestimável qualidade o mais rápido possível? Pensando que os outros são inferiores à nós. (Um teto para chamar de seu)

Por que tenho tão pouco controle? Esta é a razão de tanto desperdício e dor em minha vida. (A moment’s liberty)

[Matéria original no link: http://www.signature-reads.com/2015/01/stick-it-to-the-man-with-10-virginia-woolf-questions-for-thinkers/]

[Tradução e adaptação de Luisa Bertrami D’Angelo]