Os guerreiros místicos e os pergaminhos de Vinícios Carvalho

Destaque, Matérias Literárias, Notícias

Guerreiros Místicos e os Três pergaminhos é mais um lançamento da NotaTerapia Editora. O livro é uma incrível obra de fantasia que conta a história de John Stuart Martin, que, ao completar dezessete anos, dá início a uma épica jornada. Ele é recrutado pelo exército místico para aperfeiçoar os seus poderes e servir à pátria. John Stuart é protagonista desta deliciosa história recheada de suspense, batalhas e folclore junto com suas amigas, a espadachim, Patrícia, e a arqueira, Lifa. Eles têm de ir numa perigosa aventura atrás dos pergaminhos elementais para evitar a morte de seus amigos, que ficaram doentes por causa de uma mortal magia lançada por um feiticeiro, que há anos estava preso, mas ressurgiu. Na missão, os 3 guerreiros contam com a ajuda de um misterioso homem, chamado Nicros. Porém Blaston, o assassino, também deseja possuir os objetos mágicos e isto torna a aventura ainda mais perigosa, pois, além do feiticeiro, os três terão de enfrentar monstros e diversas criaturas místicas que defenderão, a qualquer custo, os pergaminhos.

dsc_0117

Curta a página do autor:
https://www.facebook.com/trespergaminhos/

Compre o livro no site da Editora Multifoco:
http://editoramultifoco.com.br/loja/product/guerreiros-misticos-e-os-tres-pergaminhos/

O NotaTerapia entrevistou o autor e você pode conferir a entrevista agora. Confira:

NotaTerapia –  Em poucas linhas, o que é o seu livro Guerreiros Místicos e os Três pergaminhos? 

É uma forma de expressar a riqueza da mitologia e da cultura brasileira. E é também uma aventura fascinante, que reflete a todos nós, quando estendemos as mãos para ajudar nossos amigos.

N – Quando você começou a escrever e quais as motivações que te levaram a este livro?

  Comecei a escrever em 2009, após assistir a um filme de mitologia, aquilo me fascinou, e eu ja era muito fã de jogos online, do genero RPG,  e de histórias fantásticas, com monstros, bruxos, vampiros, etc… Então eu pensei “porque apenas os americanos escrevem histórias tão fascinantes?” Então a partir dai comecei a idealizar e digitar o livro, porém, foi em 2012 após servir o exército que encontrei mais inspiração para escrever o livro. O que me motivou a escreve-lo não foi apenas a intenção de ganhar dinheiro (se bem que vender alguns milhões de cópias não seria nada mal!) Mas foi a vontade de ver pessoas inspiradas e satisfeitas. O que me motiva é saber que as pessoas irão dedicar um tempinho do seu dia a leitura do meu livro. E que eu poderei proporcionar a eles momentos de risos, curiosidade, espanto, surpresa e uma outra infinidade de sentimentos, tudo isto com um folhear de páginas.

dsc_0110

N – Qual você acha que é e deveria ser o papel da literatura e das artes no mundo de hoje?

Educar e inspirar!
Educar as pessoas no sentido de que a literatura te ensina coisas sobre o amor, sobre aventuras, sobre lugares, sobre amizade e sobre todas as coisas boas do mundo.
Inspirar no sentido de que devemos sim, sermos felizes no amor, no companheirismo, e que acima de tudo todos nós temos a capacidade de criar algo que fascine as pessoas, todos nós temos valor e talento neste mundo.

N – Quais os(as) escritores (as) que te marcaram e influenciaram tanto na vida quanto na feitura de Guerreiros Místicos?

Apesar da pouca idade, eu me encanto por coisas “antigas” pois vejo nelas muito fascínio, mas não descarto os os escritores da “geração 2000” que inspiram milhões de pessoas até hoje, então os autores que me inspiraram na feitura de Guerreiros Misticos foram: C.S Lewis, Monteiro Lobato, Ziraldo, J.K Rolling e Rick Riordan.  E na vida, sem duvida são os escritores da Bíblia (Moisés, Paulo, Tiago e os outros 41 escritores) pois sou cristão e me dedico aos seus escritos e ensinamentos.

N – O que mais me chamou atenção em Guerreiros Místicos é a gradual passagem que temos no livro do nosso mundo tal como conhecemos para o mundo místico e folclórico que John Stuart precisa enfrentar. O que você vê neste mundo que se parece com o nosso e o que do nosso mundo pode ser visto do outro lado?

Eu vejo o Brasil como um pais tropical de culturas diferenciadíssimas. Aqui há praias, cachoeiras, serras, lugares frios, quentes. Sem contar a diversidade musical.
No mundo denominado “Nirveal” que é onde os seres misticos vivem, eu o vejo tão belo e diversificado quanto o nosso Brasil, há paisagens deslumbrantes, mares, cidades, animais e centros de atividades,  lá poderemos ver suas paixões nacionais como em um dos capítulos onde é narrado um torneio de lutas e uma corrida de tapete voador, isto para eles é como o futebol para nós!  Lá, sentiremos a emoção desses e muitos outros esportes. E é claro aquela eterna guerra entre o bem e o mal.

dsc_0123

N – Se você fosse escrever em três pergaminhos as coisas mais importantes que podemos aprender com Guerreiros Místicos, o que você escreveria?

Sem duvidas seriam: Coragem, perseverança e amizade.

Lá, o leitor poderá perceber que é preciso coragem para enfrentar os medos, perseverança para conquistar os objetivos de vida e a amizade para nos ajudar em momentos mais difíceis.
O valor de uma amizade é mais rara do que qualquer jóia na face da terra. Seja a amizade de um amigo, a amizade dos nossos pais e a amizade com Deus. Ter amigos ao nosso lado nos torna imbatíveis e confiantes!  Lembrei-me de uma frase que um sábio disse: ” Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão”…