8 poemas de Roseana Murray que toda criança deveria conhecer!

Artes, Destaque, Listas, Matérias Literárias, Notícias, Poesia, Poesia Brasileira

Roseana Murray escreve que, como Neruda, para nascer, nasceu. Filha de imigrantes poloneses que vieram para o Brasil antes da Segunda Guerra fugindo do antissemitismo, a autora passou a infância no bairro do Grajaú, no Rio de Janeiro. E quem diria que este seria o grande tema de suas poesias? Roseana, que diz adorar a vida no campo, prefere olhar o lado silencioso da vida e viver no mato. Seus poemas que giram em torno do universo infantil apresentam uma belíssima visão da infância, com um olhar atento, peculiar e absolutamente criativo.

Todo seu trabalho pode ser conhecido através do site pessoal da autora (Clique aqui para acessar!). Todos os poemas foram retirados de lá, onde você pode ler muito mais. Vale muito a pena passear pelo site da autora e conhecer bastante do seu trabalho interessantíssimo e essencial para toda criança.

O NotaTerapia separou 8 poemas da autora que toda criança deveria ler:

1- COLO DE AVÓ

Tem avó que é diferente,
nada de cachorro, gato,
cavalo ou duende.
Galinha de estimação
é o que a avó carrega
feito mapa do tesouro,
para lá e para cá
(parecem duas dançarinas).
e para quem conta
os seus segredos, fala do tempo,
do que vai colher, do que vai plantar.

A galinha concorda: có,
discorda: cócó,
Às vezes dorme, às vezes acorda
e muitas vezes esquece
que a avó não é galinha.
Apesar de tão quentinha,
a avó é gente.

2- MÁQUINA DE COSTURA

A avó tem uma máquina
de costura
que foi da mãe da sua mãe,
da sua avó.

A avó pedala a máquina
e costura rendas na barra
dos vestidos,
costura um sol e uma lua
no bolso das camisas,
costura uma hora na outra,
um carinho no outro.

E o chão fica cheio de fios
e linha colorida
enquanto a avó vai costurando
amor.

3- PASSARINHOS

A avó é amestradora
de passarinhos.

Ela canta, assovia.
do seu corpo o amor escapa
e enlaça o ar.

Então os passarinhos
voam para seus braços
e ela vira ninho.

4-HIBISCO

Há flores que se comem
como se fossem frutas,
numa comunhão entre
os olhos, a boca, o jardim.
Hibiscos coloridos, caprichosos,
derramam no prato a sua beleza,
passageira como um relâmpago,
e ao morder um hibisco
nos transformamos em poesia.

5-PULAR CORDA

Se pudesse o menino pularia
corda
com a linha do horizonte,
se deitaria sobre a curvatura
da Terra
para sempre e sempre
saudar o sol,
encheria os bolsos
de terra e girassóis.
Mas chove uma chuva
fina

e o menino vai até a cozinha
fritar ideias




6-VIDA

Cada criança que nasce
em qualquer lugar do mundo
com sua história que vai ser escrita
luz por luz,
dor por dor,
é minha.
Que sua vida se cumpra:
Sua morte também é a minha.

7- A PALAVRA É DE PRATA E O SILÊNCIO É DE OURO

O silêncio é uma caixa
imensa onde cabem
e ressoam
todas as palavras
e há que pescá-las com cuidado.
Existem as redondas
e macias,
palavras vaga-lumes,
que iluminam a boca
de amor e doçura,
e outras com espinhos,
essa é melhor deixar
no fundo da caixa do mundo.

Dentro do silêncio
as palavras iluminadas
nadam
como peixes dourados.

8- CAIXA

Carregamos pela vida afora
os cheiros dos encontros raros,
dos acontecimentos,
da nossa primeira casa,
do quintal, se houve quintal,
da mãe na cozinha,
dos sonhos quando acordamos.
Se houvesse uma caixa
para guardá-los, seriam
nosso tesouro.

E então, em dias de saudade,
abriríamos nossa caixa
e mergulharíamos
como num túnel do tempo.