8 livros que podem ajudar a combater a ansiedade

Destaque, Listas, Matérias Literárias, Romance

[Via A Mente é Maravilhosa]

“Se o livro que lemos não nos desperta como um punho dando um soco no crânio, para que lê-lo? Para que nos faça feliz? Meu Deus, também seriamos felizes se não tivéssemos livros, e poderíamos, se fosse necessário, escrever nós mesmos os livros que nos tornassem felizes. Mas o que devemos temer são esses livros que se precipitam sobre nós como o azar e que nos perturbam profundamente, como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos, como o suicídio. Um livro precisa ser como um pico de gelo que quebra o mar congelado que temos dentro de nós”.
Kafka, em carta para Oskar Pollak

Esta lista não é um remédio. Não é uma cura. Ela não substitui o atendimento com um profissional, mas pode aliviar o estresse do dia a dia e ser um grande suporte para ajudar no controle da ansiedade. A poesia e a prosa, por trabalhar a língua como forma, como força de pensamento, pode nos dar novas visões de mundo, novas interpretações sobre as coisas e, assim, encontrar saídas para os problemas que poderiam estar adormecidas dentro de nós. a associação The Reading Agency e a Society of Chief of Librarians resolveram selecionar e compilar os melhores livros e poesias que poderiam ajudar uma pessoa a combater a ansiedade. O NotaTerapia separou essa lista. Confira:

1- As aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain

Tom Sawyer é um jovem órfão que vive com seu irmãozinho Sid na casa de sua tia Polly. Preguiçoso de marca maior, ele se recusa a fazer qualquer esforço, salvo quando se trata de seduzir a bela Becky. Com seu companheiro Huck, Tom se entrega a todo tipo de bagunça; os dois vivem pregando peças e pintando o sete, até o dia em que testemunham um assassinato… Segundo, a associação, a curiosidade e a vontade de aventura desta história promovem a exploração e a vontade de alcançar alguma coisa diferente na vida.

2- O Pequeno Príncipe, de Saint-Exupèry

Pequeno_Principe_LUXO

Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Seja o momento que for das nossas vidas, sempre é possível tirar excelentes ensinamentos de amor, amizade e vida interior.

3- Diário de um Corpo, de Daniel Pennac

LIVRO DIARIO DE UM CORPO

Em Diário de um corpo, Pennac constrói uma ficção singular que flerta com a autobiografia, ao narrar a vida do protagonista a partir de um diário do seu corpo, dos 12 aos 87 anos. Embora tenha atravessado boa parte do século XX e experimentado as novidades do XXI, os aspectos históricos e os estados de alma do personagem pouco interessam aqui; o motor da história é o corpo, com as descobertas e surpresas que ele nos reserva – do desafio de habitar um corpo e criar uma imagem à primeira polução noturna e às limitações do envelhecimento. O resultado é um diário comovente, ora engraçado e amoroso, ora sofrido e ressentido, e uma saudação à magnífica engrenagem sobre a qual montamos nossa existência.




4- O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder

Às vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões-postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo. Os postais são enviados do Líbano, por um major desconhecido, para uma certa Hilde Moller Knag, garota a quem Sofia também não conhece. Este livro maravilhoso nos incentiva a continuar caminhando e a criar interesse pelos diversos aspectos das nossas vidas íntimas.

5- Vidas Alheias, de Emmanuel Carrère

As Vidas Alheias’ é um romance europeu. Mas na Europa descrita por José Overejo não há espaço para adjetivos como clássico e civilizado, comumente associados ao velho mundo. O escritor espanhol revela o continente que se esconde sob o tapete, aquele dos imigrantes que vendem Kebab pelas ruas, a nova Europa que mantém os velhos vícios imperialistas e exploratórios. O livro que ganhou o “Prêmio Primavera da Literatura”, um dos mais importantes da Europa, é também uma história de conflitos pessoais, de fraquezas humanas, de vidas que se cruzam, enfim.

Aqui são narradas várias histórias que nos ajudam a compreender as diferentes realidades com as quais nos relacionamos, considerando o fato de que cada pessoa tem uma história que precisa ser levada em conta.

6- O homem em busca de sentido, de Viktor Frankl

Nos seus momentos de maior sofrimento, no campo de concentração, o jovem psicoterapeuta Viktor E. Frankl entregava-se à memória da sua mulher – que estava grávida e, tal como ele, condenada a Auschwitz. Conversava com ela, evocava a sua imagem, e assim se mantinha vivo. Quando finalmente foi libertado, no fim da guerra, a mulher estava morta, tal como os pais e o irmão. No entanto, ele alimentara-se de outro sonho enquanto estava preso, e, este sim, viria a realizar-se: projetava-se no futuro, via-se a falar perante um público imaginário, e a explicar o seu método para enfrentar o maior dos horrores. E sobreviver. Viktor E. Frankl sobreviveu. E até morrer, aos 92 anos, divulgou por todo o mundo o método desenvolvido no campo de concentração – a Logoterapia. Um clássico que ajuda você a refletir de forma profunda sobre a sua vida e as dificuldades com as quais é preciso lidar.

7- Os patinhos feios, de Boris Cyrulnik

Um filhote de cisne é chocado no ninho de uma pata. Por ser diferente dos demais filhotes, o pobre é perseguido, ofendido e maltratado por todos os patos e outras aves. Um dia, cansado de tanta humilhação, foge do ninho. Durante a sua jornada, ele para em vários lugares, mas é mal recebido em todos. Por fim, uma família de camponeses encontra o “patinho” feio e ajuda-o a superar o inverno. Quando finalmente chega a primavera, a família devolve-o para o lago, onde ele abre as suas asas e se une a um majestoso bando de cisnes, sendo então reconhecido como o mais belo de todos. Uma vida complicada não implica se afundar, sempre é possível seguir adiante: este é seu ensinamento e o fiel princípio que permeia a resiliência do ser humano. O Patinho Feio é um conto de fadas do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, publicado pela primeira vez em 11 de Novembro de 1843.

8- A mulher que não queria amar, de Stephen Grosz

Aqui são narradas histórias de pacientes que resolveram seus problemas.

 

E só para fechar, um poema bônus:

9- ‘Não se renda, de Mario Benedetti

Não te rendas, ainda é tempo
De se ter objetivos e começar de novo,
Aceitar tuas sombras,
Enterrar teus medos

Soltar o lastro,
Retomar o vôo.
Não te rendas que a vida é isso,
Continuar a viagem,
Perseguir teus sonhos,
Destravar o tempo,
Correr os escombros
E destapar o céu.Não te rendas, por favor, não cedas,
Ainda que o frio queime,
Ainda que o medo morda,
Ainda que o sol se esconda,
E o vento se cale,
Ainda existe fogo na tua alma.
Ainda existe vida nos teus sonhos.Porque a vida é tua e teu também o desejo
Porque o tens querido e porque eu te quero
Porque existe o vinho e o amor, é certo.
Porque não existem feridas que o tempo não cure.
Abrir as portas,
Tirar as trancas,
Abandonar as muralhas que te protegeram,

Viver a vida e aceitar o desafio,
Recuperar o sorriso,
Ensaiar um canto,
Baixar a guarda e estender as mãos
Abrir as asas
E tentar de novo
Celebrar a vida e se apossar dos céus.

Não te rendas, por favor, não cedas,
Ainda que o frio te queime,
Ainda que o medo te morda,
Ainda que o sol ponha e se cale o vento,
Ainda existe fogo na tua alma,
Ainda existe vida nos teus sonhos
Porque cada dia é um novo começo,
Porque esta é a hora e o melhor momento
Porque não estás sozinho, porque eu te amo