4 autores admirados por Gabriel García Márquez que você precisa conhecer!

Autores, Listas, Matérias Literárias

Matéria adaptada da TAG.

Ganhador do Nobel de Literatura em 1982 e um dos precursores, senão fundador, do Realismo Fantástico na América Latina, Gabriel García Márquez é um daqueles grandes escritores que nos faz admirar por cada palavra exposta em tinta. No entanto, também é válido lembrar que, tal como nós, humanos literatos, Gabo também admirava outros escritores e, por isso, separamos aqui uma lista de 4 autores que o escritor colombiano nutria grande admiração.

1- William Faulkner

Faulkner também foi um ganhador do prêmio Nobel de Literatura – bem como de dois Pulitzer de Ficção. Gabo o tinha como um de seus autores admirados – o levando até a uma certa obsessão – uma vez que, grande parte da sua obra, como afirmam que o próprio García Marquez dizia, existia devido a ele. “Eu tinha comprado no porto uma boa provisão de cigarros dos mais baratos, de tabaco negro e com um papel a que pouco faltava para ser de embrulho, comecei a fumar à minha maneira de então, acendendo um na beata do outro, enquanto relia Luz em agosto, de William Faulkner, que era então o mais fiel dos meus demônios tutelares.”

Alguns livros de autoria do escritor norte-americano: Luz em Agosto, Som e Fúria, Palmeiras Selvagens e O Intruso.

2- Ernest Hemingway

Hemingway também é um companheiro de Nobel, vencedor no ano de 1954. Dotado de uma escrita extremamente concisa e objetiva, Ernest Hemingway, no que concerne à Literatura, é um exemplo de inspiração para todos aqueles que gostam de ler e escrever, inclusive para Gabo, que uma vez afirmara: “Faulkner é um escritor que teve grande influência em meu espírito, mas é Hemingway a quem mais devo em termos de estilo – não só por seus livros mas por seu assombroso conhecimento do domínio artesanal que se requer no exercício da escrita.”. De acordo com o colombiano, Hemingway o teria ensinado lições como: “quando escrever se torna difícil vale a pena reler as próprias obras para recordar que sempre foi árduo escrevê-las.”.

Livros de Ernest Hemingway: O Velho e o Mar, Paris é uma Festa, Por Quem os Sinos se Dobram e O Sol também se Levanta.

3- James Joyce

Joyce foi um escritor irlandês que provocou mudanças permanentes na produção literária moderna e contemporânea. Autor admirado – e muitas vezes incompreendido por conta de sua magnum opus: Ulisses –  Joyce fazia uso de inúmeros neologismos e dava grande carga plurissignificativa em sua obra. Sobre Ulisses, Gabo nos diz: “li aos bocados e aos tropeços até que a paciência não me chegou para mais. Foi uma temeridade prematura. Anos mais tarde, já adulto domesticado, entreguei-me à tarefa de relê-lo a sério e não só foi a descoberta do mundo próprio de que nunca suspeitei dentro de mim, como também uma ajuda técnica inapreciável para a liberdade da linguagem, o manejo do tempo e as estruturas dos meus livros.”.

Obras de James Joyce: Ulisses, Dublinenses, Finnegans Wake.

4- Virginia Woolf

Virgina Woolf é uma das escritoras mais reconhecidas do modernismo inglês, exercendo influência não só na sociedade literária da época, como também ressoa em leitores como nós e como em grandes figuras literárias como García Márquez. Sua influência foi tanta para o autor que este chegou a publicar em uma coluna no El Heraldo sob o pseudônimo Septimus, inspirado na personagem da obra Mrs. Dalloway, de Woolf. Sobra Virgina, o escritor colombiano nos diz que admirava como executava a técnica do monólogo interior, afirmando que: “mais tarde, a descobri também em Virgínia Woolf, e de fato gosto mais como ela manipula a narrativa que o próprio Joyce.”

Confira aqui as publicações de Virgina Woolf: Mrs. Dalloway, Ao Farol, Orlando: uma biografia.